Cannabis pode ter efeitos negativos sobre a fertilidade masculina, revela estudo

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
(Créditos da imagem: Pixabay/Anthony Macchio)

A cannabis pode impactar negativamente os espermatozoides, descobriu uma revisão sistemática de dezenas de estudos publicados no Journal of Urology. Embora mais pesquisas sejam necessárias para confirmar muitas das descobertas, os autores alertaram que os médicos e usuários de cannabis devem considerar o uso da planta como um fator em casos de infertilidade.

Certamente não é a primeira vez que os pesquisadores notam que a cannabis pode ter um impacto negativo na fertilidade masculina. Os autores desta revisão apontam para vários estudos que sugerem problemas potenciais de fertilidade para homens que usam cannabis. Eles ainda notaram que os receptores canabinoides (que permitem que os canabinoides da cannabis interajam com diferentes sistemas no corpo humano) são expressos no esperma humano. Portanto, sabemos que é mecanicamente possível que a cannabis afete os espermatozoides.

>>> O que a vitória de Joe Biden pode significar para a o cenário da Cannabis em 2021

Impacto da cannabis na qualidade do esperma

Os autores procuraram todos os estudos relacionados à cannabis e à fertilidade masculina (publicados antes de 18 de maio de 2018) e encontraram 48 estudos com animais e humanos. Eles descobriram que a pesquisa sugere que a cannabis pode ter impactos negativos sobre os hormônios, capacidade sexual e tamanho testicular. Mas o corpo de evidências mais forte aponta para um efeito negativo no sêmen.

A pesquisa revisada neste estudo mostrou que o uso de cannabis em animais ou humanos pode levar à redução da contagem e concentração de espermatozoides no sêmen, mudanças morfológicas no esperma, redução da motilidade e viabilidade e diminuição da capacidade de fertilização.

Por exemplo, um estudo incluído descobriu que os homens que relataram usar cannabis mais de uma vez por semana tinham uma concentração de espermatozoides 28% mais baixa e uma contagem de espermatozoides 29% mais baixa do que os homens que nunca usaram a planta. Resultados semelhantes foram vistos em outros estudos com animais e humanos. Os pesquisadores suspeitam que o uso de cannabis pode diminuir a produção de novos espermatozoides, levando a resultados mais baixos.

>>> Cannabis medicinal pode auxiliar na redução de náuseas em pacientes de quimioterapia, afirmam estudos

Mudanças Morfológicas da Cannabis

Modelos animais e humanos também fornecem evidências que sugerem que a cannabis induz mudanças morfológicas no esperma. Por exemplo, um estudo descobriu que os homens que usaram cannabis nos últimos três meses e tinham menos de 30 anos eram mais propensos a ter uma morfologia anormal do esperma. É importante ressaltar que os pesquisadores notaram que o material genético não foi afetado por essas mudanças morfológicas.

A Cannabis também parece afetar a motilidade do esperma, ou sua capacidade de se mover por conta própria. Estudos descobriram uma diminuição da motilidade dos espermatozoides após apenas quatro semanas de ingestão de altas doses de cannabis.

Os pesquisadores também encontraram evidências de que o uso de cannabis pode reduzir a viabilidade do esperma (quantos espermatozoides estão vivos vs. mortos no sêmen) e interferir com sua capacidade de fertilizar um óvulo. Todos esses problemas podem ser grandes fatores no aumento da probabilidade de infertilidade.

Além desses problemas, estudos em animais sugeriram que o uso de cannabis pode causar atrofia testicular e disfunção erétil. Mas esses estudos precisam ser replicados com humanos para verificar se eles respondem de forma semelhante a ratos e camundongos a esse respeito.

>>> Empresária canadense lança empresa de cuidados com a pele feitos com raiz de cannabis

Diferentes estudos, diferentes conclusões

Ainda assim, enquanto este estudo pinta um quadro terrível dos efeitos da cannabis na fertilidade masculina, os autores apontam que grande parte da pesquisa apresentada é limitada e mais estudos são necessários para confirmar essas descobertas, particularmente aquelas baseadas em estudos com animais.

Embora haja um corpo considerável de pesquisas elaboradas anteriormente a esta revisão, também há outras pesquisas que não se enquadram no mesmo padrão. Tomemos, por exemplo, um estudo sobre cannabis e concepção que analisou casais que tentavam engravidar, pesquisando homens e mulheres sobre seus hábitos de cannabis e seu progresso na gravidez. Este estudo descobriu que os usuários de cannabis tiveram tanto sucesso em conceber quanto seus colegas que não usam cannabis.

Em um estudo mais recente de 2019 com 662 homens subférteis, os pesquisadores descobriram que os homens que fumaram cannabis na verdade tinham maior concentração e contagem de espermatozoides do que aqueles que nunca usaram cannabis. Como é alta a relação da cannabis com a nossa saúde, certamente são necessárias mais pesquisas.

Fonte: Emily Earlenbaugh/Cannigma

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

ASSINE NOSSA NEWSLETTER PARA RECEBER AS NOVIDADES

ASSINE NOSSA NEWSLETTER
pt_BRPortuguese
pt_BRPortuguese