“O melhor óleo de cannabis é aquele que atende às suas necessidades e cabe no seu bolso” diz Dr. Pedro Pierro em live

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
(Imagem: Arquivo/Sechat)

Por João R. Negromonte

Toda primeira terça-feira do mês é dia de live de Perguntas e Respostas com nosso diretor científico, Dr. Pedro Pierro, e ontem não foi diferente. O neurocirurgião especialista no uso medicinal da cannabis e destaque como um dos pioneiros na prescrição no Brasil, responde às dúvidas dos nossos seguidores. Ontem, ao ser questionado sobre qual seria o melhor óleo dentre os disponíveis no mercado, Dr. Pedro revelou:

“Assim como não pode haver comparação entre as medicações alopáticas e as canabinóides, não temos autoridade para dizer qual óleo ou produto derivado da cannabis é melhor ou pior que outro. A ideia é tratar o paciente. Ou seja, se um determinado produto atende às suas necessidades, trata de maneira segura e eficaz sua patologia e ainda cabe no seu bolso, esse é o melhor para você!”

Outra questão que apareceu na live e ganhou destaque foi o caso de um paciente com Hiperidrose (suor excessivo em determinadas partes do corpo). Ele questionou porque quando vaporiza sua cannabis, não sua tanto e consegue ter noites de sono bem mais tranquilas. 

Em resposta, o Dr. Pedro explicou que “normalmente a Hiperidrose está relacionada a casos de ansiedade ou disfunções nas glândulas sudoríparas, o que ocasiona esse suor excessivo. Dessa maneira, o motivo pelo qual o THC juntamente com o CBD podem tratar esse problema, se dá pelo fato que as substâncias, mesmo o THC sendo ansiogênico (pode causar ansiedade) e o CBD ansiolítico (previne a ansiedade), funcionarem de maneira diferente em cada organismo, isto é, apenas através de teste genéticos que determinam quais canabinóides e quais dosagens são melhores para cada caso, que poderemos dar um diagnóstico mais preciso”.  

Já para pacientes que sofrem com problemas de cardiovasculares, como foi o caso de um espectador que tem miocardite dilatada, o especialista revela que a cannabis pode sim ser uma boa opção e explica porquê:

“Toda doença que termina em ‘ite’, significa que se trata de uma inflamação. Assim, sabendo que alguns canabinóides são excelentes anti-inflamatórios, recomendaria sim essa terapia como auxiliar e complementar ao tratamento já feito.” 

Outros temas como o uso da cannabis para pacientes oncológicos, diabéticos, fibromiálgicos, dentre outros, apareceram no bate papo. Também surgiram dúvidas sobre os benefícios da cannabis para os pacientes diagnosticados com Covid-19 e, para saber mais sobre o uso medicinal da cannabis no tratamento dessas patologias, acompanhe a live de perguntas e respostas que foi ao ar ontem, apertando o play no vídeo abaixo.

Acompanhe: 

Parte 1
Parte 2

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

ASSINE NOSSA NEWSLETTER PARA RECEBER AS NOVIDADES

ASSINE NOSSA NEWSLETTER
pt_BRPortuguese
pt_BRPortuguese