Itália reprova referendo sobre descriminalização e cultivo pessoal de cannabis

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Bandeira da Itália (Foto: Pexels/Davide Cacciatori)

Por João R. Negromonte

Contando com mais de 630 mil assinaturas, o referendo, que buscava a legalização da cannabis na Itália, foi rejeitado pela Suprema Corte italiana. Mas o problema, segundo eles, não é a cannabis em si.

>>> Participe do grupo do Sechat no WHATSAPP e receba primeiro as notícias

Então, porque o pedido foi negado?

A disposição permitiria não só o cultivo doméstico da cannabis, mas também o cultivo de papoulas de ópio e plantas de coca. Nenhuma dessas culturas poderiam ser processadas e transformadas em comestíveis, concentrados, dentre outros. No entanto, o tribunal entendeu que não é o momento para a legalização de todas elas.

>>> Participe do grupo do Sechat no TELEGRAM e receba primeiro as notícias

Em entrevista coletiva, conforme apurou a Forbes, o presidente da Suprema Corte italiana, Giuliano Amato, disse:

“A questão do referendo não estava relacionada especificamente à cannabis, mas a todos os narcóticos ilícitos, invalidando também a punição pelo cultivo de drogas ‘duras’. Tal referendo poderia levar a Itália a violar vários tratados internacionais”, justifica o magistrado.

Para os autores do referendo, o texto em momento algum era “enganoso” por abranger outras substâncias além da cannabis, visto que o Tribunal de Cassação (cuja função é verificar todas as assinaturas), acolheu o pedido antes do mesmo seguir para a Suprema Corte.

>>> Inscreva-se em nossa NEWSLETTER e receba a informação confiável do Sechat sobre Cannabis Medicinal 

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

ASSINE NOSSA NEWSLETTER PARA RECEBER AS NOVIDADES

ASSINE NOSSA NEWSLETTER
pt_BRPortuguese
pt_BRPortuguese