Cannabis para aliviar sintomas do HIV?: estudo recebe subsídio de US$ 1,37 milhão

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
(Foto: Freepik/Jcomp)

Curadoria e edição Sechat, com informações de El Planteo

Conforme relatado pela Universidade do Mississippi no início de janeiro, três pesquisadores da Escola de Farmácia receberam uma bolsa de US$ 1,37 milhão do Instituto Nacional de Abuso de Drogas dos Estados Unidos ( NIDA ), para continuar estudando o tratamento da dor com cannabis em pacientes com HIV .

A equipe por trás do projeto

Os pesquisadores Jason Paris, Mahmoud ElSohly e Nicole Ashpole estão atualmente identificando diferentes canabinóides vegetais que são benéficos por suas propriedades anti-inflamatórias e analgésicas sem serem viciantes como os opióides convencionais .

Paris e Ashpole trabalham no Departamento de Ciências Biomoleculares e se especializam em envelhecimento, inflamação, dor e HIV.

De sua parte, ElSohly é atualmente o diretor do ” Projeto Maconha ” da universidade, bem como professor de farmácia e administração de medicamentos; Ele conhece os diferentes compostos da cannabis, bem como seus efeitos.

“A Universidade do Mississippi está envolvida há muito tempo na pesquisa de cannabis, e o Centro Nacional de Pesquisa de Produtos Naturais no local tem sido fundamental para ajudar a padronizar produtos de maconha de pesquisa …”, explicou ElSohly ao portal de notícias da Universidade.

Benefícios ainda desconhecidos da cannabis para o HIV

“A cannabis tem centenas de compostos além de THC e CBD, e não sabemos muito sobre como esses compostos podem afetar o corpo humano”, disse Ashpole, que também é professor assistente de farmacologia.

Ashpole considerou que “ao explorar os efeitos desses compostos contra a dor causada pelo HIV, podemos aprender sobre seus possíveis benefícios ou riscos para outras doenças inflamatórias”.

Por outro lado, Paris afirmou que os médicos descobriram que “os pacientes soropositivos usam cannabis com mais frequência do que a população não infectada”.

“Quando esses pacientes são questionados sobre o motivo, eles costumam dizer que a cannabis controla a dor crônica à qual o HIV os predispõe, em maior medida do que as terapias atualmente disponíveis”, acrescenta Paris. “Nossos dados preliminares sugerem que alguns dos compostos não psicoativos da cannabis podem reduzir a inflamação e a dor relacionadas ao HIV”.

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

ASSINE NOSSA NEWSLETTER PARA RECEBER AS NOVIDADES

ASSINE NOSSA NEWSLETTER
pt_BRPortuguese
pt_BRPortuguese