8 curiosidades sobre a Cannabis medicinal que você talvez não saiba

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Pesquisadores estão voltando sua atenção aos benefícios da cannabis, resultando em mais descobertas a cada dia (Foto: Erin Hinterland/Pixabay)

Por Sechat Conteúdo

Já é comprovado que a cannabis pode tratar uma série de doenças, desde problemas de pele a síndromes raras e tumores. Mas, para conhecer mais a fundo os benefícios terapêuticos dessa planta que vêm chamando cada vez mais a atenção de pesquisadores, médicos e pacientes, listamos algumas das principais curiosidades:

1. O canabidiol é apenas um dos mais de 100 ingredientes das plantas de cannabis

A maioria das pessoas sabe que o CBD é um dos ingredientes da cannabis, mas muitos acham que, por ser o canabinoide mais popular, é o único que apresenta benefícios terapêuticos. Na verdade, o canabidiol é um dos mais de 100 compostos da cannabis que têm efeitos variados na mente e no corpo humanos.

(Fonte: Um panorama da cannabis medicinal no Brasil/Gabinete Senadora Mara Gabrilli)

>>> Participe do grupo do Sechat no WhatsApp e receba primeiro as notícias

2. No corpo humano há um sistema endocanabinoide

O sistema endocanabinoide, presente no corpo humano, é formado pelos receptores canabinoides, os endocanabinoides e as enzimas que catalisam sua biossíntese. Este sistema é o sistema de comunicação entre o cérebro e os processos do corpo. Sua principal função é ajudar a manter a homeostase, responsável por manter os equilíbrios do corpo, como temperatura e nível de açúcar no sangue.

Os receptores canabinoides – os dois principais são CB1 e CB2 -, são responsáveis por transmitir informações ao resto do corpo, isto é, alertar o interior das células quando ocorrem mudanças, a fim de fornecer uma  resposta celular mais rápida e mais adequada. Os endocanabinoides são moléculas que ativam os receptores. Já as enzimas quebram as moléculas dos endocanabinoides após as mesmas ativarem os receptores.

Dessa forma, o sistema encocanabinoide é essencial para que todos os outros sistemas do corpo, como o digestivo, imunológico, cardiovascular, entre outros, precisam estejam em equilíbrio para, assim, fornecer uma melhor saúde ao corpo.

(Fonte: Crystal Raypole/Healthline)

>>> Deputado diz que PL 399/2015 será aprovado, e aponta motivos por pauta ter travado na Câmara

3. As pesquisas em relação aos benefícios da cannabis medicinal tiveram início 60 anos atrás

Desde 1960, as pesquisas já mostraram as propriedades da Cannabis como neuromoduladoras e a existência de receptores endocanabinoides em diferentes sistemas do organismo como o sistema nervoso, cardiovascular, digestivo, respiratório e esquelético.

Dessa forma, os canabinoides presentes na planta interagem com o sistema endocanabinoide do corpo humano, estimulando ainda mais a abertura dos receptores. É importante pontuar que cada um deles tem seus próprios efeitos terapêuticos – analgésicos, anti-inflamatórios, anticonvulsivantes, etc.

(Fonte: Um panorama da cannabis medicinal no Brasil/Gabinete Senadora Mara Gabrilli)

>>> CBD não se converte em THC no corpo, revela novo estudo

4. O óleo CBD funciona de forma mais eficaz quando combinado com THC

O uso medicinal do THC continua alvo de polêmicas por conta de seus efeitos mais adversos, mas ele possui alguns benefícios de cura muito poderosos. Segundo diversos estudos e pesquisas, combinar THC e CBD faz com que os dois funcionem em harmonia, reforçando sua eficácia clínica. Além do mais, o CBD pode reduzir os efeitos negativos do THC.

(Fonte: Best CBD Oils)

>>> A cannabis medicinal e seus efeitos na saúde dos animais de estimação

5. O CBD pode trazer benefícios aos animais de estimação

Estudos indicam que inserir CBD nas dietas de animais de estimação pode ajudar a promover a saúde das articulações, aliviar a ansiedade e promover a saúde do cérebro. Existem várias marcas de CBD que oferecem guloseimas e óleos específicos para os animais. A maioria dos óleos padrão destinados a humanos também podem funcionar para animais de estimação.

Os efeitos em cães ainda são um pouco inconclusivos, mas no geral são promissores. A maioria dos pesquisadores e veterinários consideram as tinturas “provavelmente seguras”, sem efeitos adversos relatados pelos tutores dos animais de estimação ou por qualquer veterinário.

(Fonte: Nicole Skrobin/The GrowthOp)

>>> A Cannabis medicinal pode ser a solução para o fim dos opioides?

6. O CBD pode ser usado no tratamento do abuso de drogas

Alguns estudos feitos em ratos demonstraram que o CBD tem o potencial de melhorar a vulnerabilidade que causa uma recaída. Tais estudos mostram que o CBD também pode ser usado para tratar o vício em muitas drogas de uso abusivo, como álcool, cocaína e heroína.

Um estudo envolvendo 42 pessoas com dependência de heroína, publicado no American Journal of Psychiatry, concluiu que os participantes que receberam CBD experimentaram menos desejo por drogas. Os efeitos do composto da cannabis duraram até uma semana.

(Fonte: Full Spectrum)

>>> Como a cannabis afeta os hormônios que controlam o apetite e o estresse?

7. O CBD pode ser eficaz na redução do estresse

O estresse se tornou uma parte normal da vida de praticamente todas as pessoas no mundo. Mas o CBD parece ser uma alternativa promissora aos medicamentos prescritos que são usados ​​para lidar com problemas de saúde relacionados ao estresse.

Embora o CBD não seja uma cura para todas as doenças relacionadas ao estresse, descobriu-se que é útil como estabilizador de humor e antidepressivo.

De acordo com Samir Haj-Dahmane da Buffalo University, o CBD e outros canabinoides podem “restaurar a função endocanabinoide normal para potencialmente ajudar a estabilizar o humor e aliviar a depressão”.

(Fonte: Full Spectrum)

>>> Anvisa lança dois manuais para o mercado de Cannabis

8. No final de 2019, A Anvisa autorizou a  fabricação e venda de medicamentos à base de Cannabis

No final do ano passado, a Anvisa aprovou a criação de uma nova categoria – produtos de Cannabis para fins medicinais de uso humano –, por meio de sua Resolução nº 327, de 9 de dezembro de 2019, que entrou em vigor no dia 10 de março de 2020 e regulamenta a fabricação, importação e comercialização de medicamentos derivados da Cannabis. As regras variam de acordo com a concentração de tetraidrocanabinol (THC). Aqueles com concentração de THC superior a 0,2% só poderão ser prescritos a pacientes terminais ou que tenham esgotado as alternativas terapêuticas de tratamento. 

(Fonte: Um panorama da cannabis medicinal no Brasil/Gabinete Senadora Mara Gabrilli)

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

ASSINE NOSSA NEWSLETTER PARA RECEBER AS NOVIDADES

ASSINE NOSSA NEWSLETTER