O papel da cannabis medicinal na manutenção da saúde bucal em pacientes diabéticos

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
(Imagem: Arquivo/Sechat)

Por Cynthia de Carlo

Todo mundo conhece ou tem na família alguém que tenha Diabetes. O Diabetes é uma doença que vem crescendo exponencialmente no Brasil e no mundo. Os pacientes portadores dessa doença, possuem, cada um deles, características peculiares e diferentes. É uma doença silenciosa, que muitas vezes passa despercebida pela maioria das pessoas. Além disso, o diabetes pode causar vários tipos de doenças bucais.

A boca é uma das maiores cavidades do corpo humano com comunicação externa, portanto a grande responsável pela saúde sistêmica e geral do indivíduo.

Sendo assim, o papel do dentista torna-se cada vez mais importante na detecção desta doença, por meio de uma profunda anamnese, com a solicitação de exames de pressão arterial e glicemia antes de qualquer intervenção. 

Os cuidados que os cirurgiões dentistas devem ter ao atender esses pacientes, diagnosticados ou não, devem ser redobrados, por vários motivos:

  • De acordo com a especificidade da doença:
  1. Diabetes Tipo 1: candidíase oral, boqueira, sangramento gengival (gengivite crônica), varizes no ventre e assoalho da língua, lesão/ferida (úlcera traumática) e inchaço da gengiva;
  2. Diabetes Tipo 2:  processo periodontal crônico avançado (gengivite/periodontite), candidíase, boqueira, varizes, lesão-ferida, inchaço e gengivite (sangramento);
  3. Diabete Gravídica: ardência bucal, alteração nas papilas, candidíase, cárie incipiente e avançada, gengivite crônica e periodontite generalizada.
  • No cuidado aos procedimentos cirúrgicos devido aos problemas de coagulação com intensos sangramentos em pacientes
  • descompensados, além da diminuição da salivação;
  • Nas hipoglicemias (baixa da taxa de açúcar com sensação de desmaio) causadas pela ansiedade e fobia aos consultórios;
  • Nas doenças periodontais, que são as complicações advindas da Diabetes, além dos abscessos recorrentes, hipocalcificação do esmalte, ardência bucal, distúrbio de gustação, inchaço das glândulas salivares e perda óssea alveolar;
  • Nas Neuropatias Orais, em que os nervos são acometidos e as dores são intensas.

E como a cannabis pode ajudar?

PREVENÇÃO

Estudos relatam que a Cannabis possui compostos que ajudam a controlar o açúcar no sangue reduzindo a resistência à insulina. 

NEUROPATIAS BUCAIS / ORAIS 

A neuropatia diabética é uma das complicações mais comuns e problemáticas. Acomete de 30% a 50% dos pacientes diabéticos. Há comprovação e evidências de que a cannabis tem ações antioxidantes que auxiliam no alívio da dor e também aumentam o crescimento do nervo, pelas propriedades do CBD (Canabidiol) e do THC (Delta-9-tetracanabinol) principalmente.

ANSIEDADE/FOBIA/DEPRESSÃO

A maioria dos pacientes já têm fobia e medo dos consultórios dentários, mas os diabéticos ainda  desenvolvem ansiedade e depressão, o que contribui para as afecções bucais e para o aparecimento de inflamações. Devido às propriedades da Cannabis Medicinal como ansiolítico, que pode melhorar o humor, reduzir o estresse e ainda ter uma potente ação anti-inflamatória, utilizamos a substância como uma aliada na prática diária dos consultórios odontológicos.

As opiniões veiculadas nesse artigo são pessoais e de responsabilidade de seus autores.

Sobre a autora:

Cynthia De Carlo é cirurgiã-dentista, formada há 31 anos pela UNITAU, pós-graduada em Periodontia, Implante e Pediatria. É dentista do CECMedic (Centro de Excelência Canabinoide) e membro da SBEC (Sociedade Brasileira de Estudos da Cannabis).

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

ASSINE NOSSA NEWSLETTER PARA RECEBER AS NOVIDADES

ASSINE NOSSA NEWSLETTER
pt_BRPortuguese
pt_BRPortuguese