Estudo mostra 40% dos consumidores de cannabis em Portugal, utilizam a planta para tratar depressão e ansiedade

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
(Foto: Freepik/aleksandarlittlewolf)

Por João R. Negromonte

Iniciativa do Observatório Europeu da Droga e da Toxicodependência, que realizou pesquisa em cerca de 30 países europeus, dentre os quais Portugal foi destaque com o maior número de usuários, aponta que apesar da pequena redução do uso da cannabis em tempos de Covid-19, a maioria dos entrevistados disseram recorrer a planta como alternativa medicinal no controle da ansiedade e da depressão. 

A pesquisa, que aconteceu de forma online através de autopreenchimento, foi destinada a utilizadores de substâncias entorpecentes de todos os tipos, abordando pessoas com 18 anos ou mais, que participam anonimamente. O estudo foi aplicado entre março e maio de 2021, tendo-se obtido uma amostra de 4.685 questionários válidos de utilizadores residentes em Portugal. 

O estudo apontou também que 23% dos entrevistados relataram consumir cannabis regularmente e que isso os mantém mais “relaxados” em relação a pandemia, visto que fatores de stress, por exemplo, poderão influenciar uma maior utilização destes produtos como mecanismo de coping (esforços cognitivos e comportamentais para lidar com situações de dano).

Benefícios da cannabis para ansiedade e depressão

No Brasil, também existem pesquisas sobre o tema. Segundo estudo realizado pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HCFM-USP), derivados da cannabis como o CBD, por exemplo, podem melhorar em cerca de 60% os sintomas da ansiedade e da depressão. Foi constatado que já nas primeiras semanas de tratamento, houve uma melhora significativa na saúde mental dos pacientes.

A pesquisa selecionou profissionais de saúde do HC de São Paulo, onde um grupo  recebeu doses diárias de CBD durante 28 dias e o tratamento convencional para burnout (síndrome do esgotamento profissional), que inclui terapias, sugestões de exercícios físicos e conteúdo motivacional. Já o segundo grupo, recebeu apenas o tratamento tradicional.

Após 14 dias do início do tratamento, os pesquisadores concluíram que houve uma melhora de 25% na redução dos sintomas das patologias (burnout, ansiedade e depressão) para o grupo que recebeu o CBD comparado ao que fez apenas o tratamento padrão.

Não é de hoje que diversos estudos comprovam a eficácia dessa terapia contra os sintomas da ansiedade, por isso, cada vez mais esse tratamento se mostra como um grande aliado da medicina tradicional. Além disso, como base de comparação, os derivados da cannabis possuem uma baixa taxa de efeitos colaterais em relação aos medicamentos convencionais, o que justifica cada vez mais a utilização dessa alternativa medicamentosa para o tratamento de diversos distúrbios.

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

ASSINE NOSSA NEWSLETTER PARA RECEBER AS NOVIDADES

ASSINE NOSSA NEWSLETTER
pt_BRPortuguese
pt_BRPortuguese