Cannabis Thinking: muito além da cannabis, evento aborda inclusão social e sustentabilidade

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
cannabis-thinking-2021
O evento aconteceu no último sábado, 23 de outubro, em São Paulo. (Créditos da imagem: Sechat/Jacqueline Passos)

Por Jacqueline Passos

No último sábado, aconteceu o Cannabis Thinking, evento organizado pela The Green Hub que levou mais de 300 pessoas para o Civi-co, pólo de impacto social localizado na cidade de São Paulo. Foram mais de 60 speakers, divididos em dois palcos: Revolução 5.0 e Health & Science. O evento abordou vários assuntos relacionados à cannabis, desde legislação brasileira, sustentabilidade, empreendedorismo e tecnologia, além de inclusão social. 

Palco Revolução

A hashtag usada para o evento foi #verdequetransforma, por isso, toda a programação dos palcos levou esse nome. Cada mesa contou com um mediador e três speakers. Os assuntos abordados no palco Revolução foram: 

• #verdequetransforma ODS – A Indústria da Cannabis alinhada aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU

• #verdequetransforma o contexto – O panorama global da cannabis e o mercado brasileiro

• #verdequetransforma as leis – Desafios e ampliação de entendimento no legislativo

• #verdequetransforma a terra – Uma comódite amiga da terra

• #verdequetransforma a tecnologia – A inovação e empreendedorismo

• #verdequetransforma a América Latina – Protagonismo do bloco no cenário mundial

• #verdequetransforma São Paulo – Impacto da cannabis e a coesão social

• #verdequetransforma o empreendedorismo – Apresentação de startups

Com personalidades nacionais e internacionais nas mesas, alguns painéis aconteceram em inglês ou espanhol com tradução simultânea acontecendo por fones de ouvido. Ou seja, não houve desculpa para não acompanhar algum assunto. Além dos speakers, convidados do Brasil inteiro circularam pelo espaço. Como foi o caso do skatista Bob Burnquist, maior medalhista da história do X Games, com um total de 30 medalhas, que também esteve no Civi-co. 

“Achei incrível o evento, a proposta do evento, por isso que eu fechei a agenda para vir aqui, porque começou a dar match com muita coisa, com os projetos do Civi-co, Tereza Vale a Pena, Humanitas 360, tem uma questão social muito forte. E a The Green Hub que está junto com muitas startups canábicas, eu vi que tem outras oportunidades, tem a Question Mark que tem iogurte a base de planta e eu me identifico. Eu vejo aqui um grupo de pessoas querendo solucionar algo maior e eu quero estar perto dessas pessoas. (…) Eu vejo essa responsabilidade, vi os primeiros painéis, foram muito informativos, eu sei que tem muito mais que eu quero assistir e está gravando. Entrei em reuniões, porque aqui você conhece tanta gente, então, eu estou bem feliz de ver o país em um momento desse unindo as pessoas, trazendo pessoas de fora, querendo colocar a bandeira do Brasil no mercado, porque se a gente não fizer, outros vão fazer, e a gente como brasileiro tem que dar essa solução. Tem frente parlamentar, tem muita coisa que está acontecendo e a gente tem que andar junto, tem que se unir. O evento está muito legal, estou falando bastante, conhecendo um monte de gente, mas essa conexão é importante.”

Bob Burnquist sobre o evento Cannabis Thinking

Mercado de oportunidades

O grande destaque do evento foi a riqueza dos assuntos abordados nos debates. Os speakers foram muito além da cannabis medicinal e da PL 399/2015, projeto de lei que tramita na Câmara dos Deputados e, se aprovada, irá viabilizar a comercialização de medicamentos que contenham extratos, substratos ou partes da planta Cannabis sativa em sua formulação. As inúmeras oportunidades que este mercado ainda pode trazer para o Brasil foram inclusive expressadas em dados por Maria Eugênia Riscala, fundadora e CEO na Kaya Mind, primeira startup de pesquisa e dados nichada em cannabis na América Latina. Segundo ela, após a regulamentação do mercado, a cannabis medicinal pode movimentar até R$ 9,5 bilhões e o cânhamo R$ 4,9 bilhões, considerando o quarto ano após a regulamentação. Ou seja, são inúmeras oportunidades que estamos perdendo por ainda não termos um mercado regulado. 

Todos os painéis foram gravados e serão disponibilizados pela The Green Hub posteriormente. Continue acompanhando o Sechat para saber mais sobre este e outros eventos do mercado da cannabis. 

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

ASSINE NOSSA NEWSLETTER PARA RECEBER AS NOVIDADES

ASSINE NOSSA NEWSLETTER